• Escritos da Alma,  Reflexões

    Para não esquecermos

    Desacelera um pouco.Escuta-TE e observa-TE… O teu corpo, o teu diálogo interno, as tuas emoções…O que o corpo te pede, e o que ele te diz que não quer…Os teus medos, os teus desejos…O que a tua alma anseia, e o que ela está pronta para libertar… Este é um importante passo para cuidares de ti. Muitas vezes quando não estamos bem, quando temos um problema, procuramos respostas no exterior, mais que não seja, pedindo opinião a amigos, lendo em livros ou na Internet, procurando uma solução que pode ser mais ou menos rápida para aquilo que sentimos. É importante aprendermos com os outros e com o Mundo; crescemos sempre…

  • Escritos da Alma

    Somos Sol e Chuva

    Todos temos dias assim Em que os sorrisos e risos são difíceis (os da alma, não falo dos outros), Em que as árvores da nossa alma Parecem despidas, O nosso jardim interior, sem vida (embora a vida esteja sempre lá). Dias em que, costumo dizer, Uma nuvenzinha negra nos persegue por onde vamos, Fazendo, muitas vezes, trovejar, E até cair uma tempestade, em nós. Inunda-nos de sentimentos que não queremos, Pensamentos que, por vezes, nos fazem sentir que “estou cá, mas não estou”, Alienados do presente por preocupações pelo futuro ou ligados a algo no passado, Ou por algo muito pouco concreto Que simplesmente está ali, Na nossa mente, Mesmo…

  • Reflexões

    Reaprender a conectar

    Houve uma altura em que eu trabalhava em horário duplo e estudava. Como calculam, tempo para mim era muito escasso. O mais “engraçado” é que quando tive férias do trabalho e das aulas pela primeira vez, senti-me inquieta. Porquê? Porque já não sabia como estar comigo, não sabia relaxar sem ter algo planeado, não sabia como preencher o espaço dos meus dias. Sentia necessidade de ter alguma coisa para fazer e quando tinha momentos mortos ficava ansiosa. Estava habituada a um ritmo acelerado, sempre com tarefas para concretizar, horários para cumprir, sítios onde tinha de estar, e não estava a conseguir gerir dentro de mim aquela desaceleração, os intervalos em…